22 maio 2007

Terceira Galáxia Poética

Mostrei "Calmaria" à Maria


Inspirada pela poesia “Calmaria” de Nicolas Guto *


Mostrei Calmaria à Maria,
e pedi que a lesse como em romaria,
à natureza sagrada.
E assim, lavasse sua alma
na água corrente dos arroios.


Mostrei Calmaria à Maria,
e pedi que a lesse como em romaria,
à memória de um passado talvez, cheio de alento,
mas que com o vento, se foi.
E assim, libertasse sua alma para o futuro,
mesmo que esse fosse de apenas um dia.


Mostrei Calmaria à Maria,
e pedi que a lesse como em romaria,
aos confins de seu próprio coração,
e que lá dentro acendesse uma vela
e procurasse um sentimento novo,
uma nova razão e um novo irmão.


Mostrei Calmaria à Maria,
e pedi que a lesse como em romaria,
à jornada (para uns, curta; para outros, longa)
inevitável da vida e que, aportando na maturidade,
venha à porta lhe receber, a serenidade;
sorridente, apesar dos percalços da viagem.


14.03.2007




* http://nicolasguto.zip.net/arch2006-12-01_2006-12-31.html

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse poema é de quem?

Liv´s From Lórien disse...

Este poema é meu, Liv´s From Lórien.
Quando a poesia é de outro autor, coloco a autoria.
Abraços!