01 janeiro 2010

Primeira postagem de 2010: O FIM DO MUNDO

Nada mais propício que o início de um novo ano para pensarmos no fim do mundo! Tema tão constante hoje como sempre, acredito eu. Assim, posto aqui um mini-conto, "fresquinho" ou "quentinho", com o tema:

O FIM DO MUNDO

A semi-consciência, aquele estado entre a consciência e o sono, é um dos momentos mais profícuos e ricos de idéias, aonde a clareza brota como nunca! A coragem, as decisões, as resoluções de problemas, os grandes insights...tudo surge com uma nitidez impressionante! Num desses abençoados instantes, conheci Ariovaldo, e o fim da sua história:

Lá estava ele, abotoando o roupão brilhante e surrado, e pensando que o fim do mundo talvez nao fosse tão ruim assim.... Partir sozinho, aí sim, deveria ser triste, mas partirem todos juntos...saber que ninguém mais ficaria aqui, não era má idéia...era até confortador, fácil de aceitar...em comparação com a morte comum.

Claro, havia muito o que fazer ainda por aqui, lugares para conhecer, conhecimentos a aprender, emoções que talvez ainda não tivesse vivido, muito a ler e escrever...mas, do alto dos seus 53 anos, e diante da iminência certa do fim do mundo, parecia que tudo isso perdia a importância e, o mais estranho, ele não se lamentava...parecia que enfim chegava o dia que ele tanto esperara para finalmente descansar...cansado de um vida de emoções...!

As mídias do mundo afora sempre anunciaram previsões do fim do mundo, mas não como agora. Eram previsões malucas, teorias fantásticas – a maioria com Nostradamus no meio. Agora era completamente diferente! Cientificamente certo, todos estavam cientes, o mundo realmente ia acabar! O mundo estava desesperado ante seu fim. Ariovaldo no entanto, estranhamente, não conseguia desesperar-se, estava indiferente ante o inevitável...se era para ir para o fim, vamos juntos, todos, e pronto...

Não tinha vontade de matar-se antes do final, como muitos estavam fazendo, simplesmente queria ver tudo acabar, sumir, o planeta todo...tomando calmamente seu whisky, fumando um último cigarro, e lendo o jornal do dia...que chegou inteirinho, no horário de sempre, como se o mundo não estivesse prestes a acabar daqui a pouco...


Dez.2009



3 comentários:

Rose Lee disse...

Eu adorei!!!

olga porto govoni disse...

Fico eu, também, ali, calmamente, à espera do final. Apenas gostaria que a minha vez não fosse logo no começo... Porque quero ver - acho que admirar - as coisas ruírem.
Não faria nada, nem café com pão. Só olhar pela janela.

- Lindo de tudo seu conto!
Muitos beijos da prima: para Lívia e para a escritora!

Liv´s From Lórien disse...

Olá Olga! Obrigada! Que bom que gostou! bjão no coração!